Aviso

Isenção de Responsabilidade
Por favor, leia com atenção

 
Ao ler textos ou assistir vídeos contidos neste blog, você admite estar ciente que todo o conteúdo apresentado aqui deve ser interpretado no contexto de FANTASIA ERÓTICA, INTERPRETAÇÃO DE PAPÉIS, ENCENAÇÃO, JOGOS e SIMULAÇÕES. Este conteúdo é destinado exclusivamente a pessoas LEGALMENTE APTAS para oferecer CONCESSÃO para práticas KINK e BDSM. Ou seja, pessoas maiores de 18 anos; que não estejam juridicamente impedidas; clinicamente incapacitadas; ou, sem a posse de suas faculdades mentais. Dessa forma, assumem à responsabilidade pelas consequências de seus atos. Mesmo que eventualmente estes atos possam parecer - aos olhos de "desavisados" - abuso ou violência, porém não o são, pois muitas vezes as encenações são dignas de “Oscar”! Os praticantes de Kink & BDSM, ou, "jogadores" sabem que estão apenas interpretando um papel, não representando a vida real. Por isso, em nossa comunidade são definidos princípios que regem as práticas de KINK & BDSM (SSC, RACK, PRICK, etc.) e acordos pré-definidos para garantir a segurança dos envolvidos, como por exemplo a Safe Word & Safe Sign (códigos e sinais que indicam o estado físico e psicológico do parceiro).

Meu Ponto de Vista
Neste blog pretendo escrever tudo o que sei e penso sobre o Kink & BDSM – e “otras cositas más”, entretanto, não quero me tornar repetitivo ao alertar o leitor de que não sou médico, psicólogo ou psicanalista. Apenas compartilho minha opinião, baseado em minhas experiências e interesses pessoais. Ou seja, sou um homem heterossexual, dominante, e por isso, meu ponto de vista tem esse viés.
Comecei a me interessar pelo Kink & BDSM quando tinha 19 anos (em 1995). Muito do que aprendi naquela época foi empírico, e depois através de pesquisas em livros e internet. Mas ao longo do tempo fui percebendo algumas coisas:
  1. Nem sempre teoria e prática convergem no mesmo sentido;
  2. Não existe uma “ABNT” do Kink & BDSM. Por isso, muitas ideias são divergentes ou parciais;
  3. Muitas pessoas replicam “desinformação”, pois, até para copiar informação dos outros é necessário ter discernimento e experiência para identificar o que não faz sentido. Além disso, é imprescindível pesquisar em diferentes fontes para detectar possíveis erros e inconsistências.
Não quero dizer com isso que estou isento de parcialidade ou de cometer erros. Apenas quero alertar o leitor para que ele tenha um olhar crítico sobre tudo o que lê, e tire suas próprias conclusões. Não é pelo fato de praticar BDSM há mais de 25 anos que eu sei de tudo. Em várias áreas do conhecimento existem especialidades, não seria diferente no BDSM.
Ainda assim, estou contribuindo com o que sei; e escrevendo sobre assuntos que vão além da minha experiência pessoal, buscando sempre que possível às informações mais corretas. Em função disso venho pesquisando continuamente sobre os temas que já foram publicados aqui. E se acaso eu encontrar informações que refutem alguma publicação, imediatamente farei a correção, sem aviso prévio
conto com a compreensão do leitor.

“Consegui meu equilíbrio cortejando a insanidade”
Legião Urbana, Sereníssima, de Renato Russo e Dado Villa-Lobos

Uma fantasia sexual é a forma que o Ego encontra para tornar consciente os sentimentos e desejos reprimidos no inconsciente. Às vezes experiências traumáticas, frustrações, receios, etc. assumem formas diferentes ao emergir para o consciente de forma suportável. Por isso, acredito que as fantasias são uma forma de “ressignificar” o que está escondido em nosso subconsciente para que possamos superar nossas angústias.

O leitor deve ser consciente que as atividades KINK & BDSM podem, eventualmente, trazer riscos - assim como ocorre em esportes radicais - de: ferimentos físicos, abalo emocional, e até morte. Por isso, ao colocar em prática qualquer informação contida neste blog, você estará assumindo total e exclusiva responsabilidade pelos seus atos. Esse aviso torna-se ainda mais importante para aqueles que são iniciantes. Tenham cuidado!


Dicas básicas para quem está começando
1º) Conheça as "Regras do Jogo" antes de começar. Imagine que você se encontra em uma situação de luta corporal iminente. Nesse contexto, a nossa mente avalia melhor os riscos.
  • Por que você vai lutar? É por que você quer, ou o outro está provocando?
  • Saber com quem você vai lutar faz alguma diferença?
  • Quais são as regras da luta? O adversário vai respeitar essas regras?
  • O que fazer se as regras não forem respeitadas?
  • O que você ganha e o que você perde com essa luta?
  • E se alguma coisa der errado, qual é o papel e a responsabilidade de cada um?
  • Mais importante que tudo. Qual é a sua responsabilidade?
) "Conhece a ti mesmo". É um aforismo grego inscrito no pátio do templo de Apolo, em Delfos. O provérbio é aplicado àqueles que tentam ultrapassar o que são, mas também pode ser um aviso para não prestar atenção à opinião da multidão.
Tenho visto pessoas que começam a praticar KINK & BDSM sem antes avaliar quais são os seus valores e propósito. Não é de espantar que se decepcionem depois, ou causem decepção aos outros. Por isso, faça uma autoanálise para saber o que você realmente deseja, e até onde está disposto(a) a chegar.

3º) Analise com distanciamento. Tomar decisões por impulso, quase sempre termina mal. Um erro muito comum é a projeção que fazemos nos outros dos nossos próprios desejos e fantasias. Estamos tão "ansiosos" por realizá-los que esquecemos de verificar se o outro também deseja a mesma coisa. Além disto, o outro também pode carregar suas próprias projeções e anseios. Por isso, observe bastante e analise as atitudes das pessoas, mais do que suas palavras. Pode haver uma enorme diferença entre o que se imagina, verbaliza, e o que de fato acontece.

4º) Comece devagar.
Tenha paciência e bom senso. Cada um de nós tem seus próprios desejos (e "loucuras"); tem o seu próprio tempo e experiências de vida; e tem seus próprios limites.  Um "não" agora pode tornar-se um "sim" amanhã, porque na convivência é que se constrói a confiança, e a confiança é a base de tudo. Mas o contrário também é verdadeiro, ou seja, um "sim" agora pode tornar-se um "não" amanhã. Por várias razões... Porque a pessoa "projetou demais" (viajou na maionese) e depois caiu em si, ou, porque houve quebra de confiança. De qualquer forma, encontrar o "time" certo exige experiência e cumplicidade. Então diga "sim", quando realmente quiser dizer "sim". Mas saiba dizer "NÃO" quando for necessário.

5º) Assuma a responsabilidade. Se você seguiu todas as dicas anteriores, dificilmente alguma coisa vai acontecer sem que você perceba que tem algo errado, e tome as devidas providências. Então, se a relação terminar, não tem porque ficar jogando a culpa no outro pelas suas escolhas. Isso é coisa de gente irresponsável e covarde. Se o outro errou, foi porque em algum momento você também errou. Então a "culpa" é dos dois, não seja infantil. Ou, como diz o ditado "Não sabe brincar, não desce para o play!". Assuma a responsabilidade pelos seus erros e aprenda com eles.

É preciso estar plenamente consciente de si mesmo (quais são os seus desejos e limites) para praticar Kink & BDSM. Por isso, praticantes mais experientes estão sempre advertindo os iniciantes para tomar cuidado e ir com calma.

Me irrita muito quando vejo pessoas que frequentam a comunidade Kink & BDSM, e mesmo sendo alertadas não seguem às recomendações, depois ficam choramingando e se fazendo de vítima porque se deram mal. Eu sou bem direto e duro com esse tipo de pessoa...  "Kink & BDSM não é para irresponsável. Então leve o seu "vitimismo" e "mimimi" pra outro lugar". Por isso estou aqui dando a minha contribuição, com informações e experiências adquiridas ao longo de 25 anos de prática. Organizei essas informações na página de ESTUDOS.

Se você fez o "dever de casa", então divirta-se!
Nesse caso, quero te convidar a fazer parte do GMC (Grupo Masmorra Carioca) para conhecer pessoas que passaram pelo processo de "Habilitação à Masmorra Carioca" e participar de nossos eventos exclusivos.

Postagens mais visitadas