O que é um Mentor no BDSM?

Um mentor, no contexto BDSM, é um praticante – dominante ou submisso – que possui muita experiência no estilo de vida BDSM, associado ao conhecimento teórico. Ao aceitar um pupilo (iniciante), o mentor se tornar o responsável pela orientação de alguém que deposita nele total respeito e confiança. Por isso, um distanciamento quase formal, estabelece a condição necessária para uma autêntica prática de Mentoring (mentorado).

O mentor responde às perguntas do pupilo e o ajuda a encontrar os recursos necessários para ter suas próprias experiências. Ele também poderá usar técnicas de coaching com PNL (Programação Neurolinguistica), para ajudar o pupilo a enxergar seus “blind spots” (pontos cegos), saindo de um estado atual para um estado desejado.

O ideal é que o mentor possua, no mínimo, 5 anos de experiência prática; um bom intercâmbio com a comunidade Kink & BDSM; e algum material (textos, vídeos, palestras, performances, etc.), que além de comprovar sua experiência, servirá de base de estudos para seu pupilo.

Porém, não é o temos visto por aí, ultimamente. Pessoas com pouco tempo de experiência e quase nenhum conhecimento teórico – mas com bom “papo” – se autointitulam “mentores” e se oferecem para orientar iniciantes desaviados, ansiosos por aprendizado.

Infelizmente, dois grandes problemas são causados por esses impostores. Primeiro, a disseminação de informações erradas, criando uma cultura de desinformação catastrófica. Pois, quem aprendeu errado irá propagar a desinformação e dificilmente aceitará uma correção da informação que aprendeu errado. Segundo, a provável decepção que esse aprendiz terá com um impostor, podendo fazer ele desistir do BDSM sem nunca ter conhecido de verdade.

Predadores sexuais adoram mascarar-se de “mentores” para se aproveitar da ingenuidade de pessoas inexperientes. Mas não se engane, existem impostores de todo tipo, e com objetivos bem diferentes, que exploram suas vítimas extorquindo dinheiro; tomando favores; bens materiais; ou, apenas por uma vaidade egocêntrica de poder (vide, "As Relações Perigosas", de Choderlos de Laclos). Portanto, certifique-se de que o “mentor” escolhido seja alguém em quem você realmente pode confiar, porque às vezes o barato saí muito caro.

Não há nenhum problema em alguém cobrar pelos serviços de mentor. Pelo menos assim, os interesses são colocados claramente sobre a mesa. Uma pessoa que detém grande conhecimento e experiência, merece ser reconhecida e gratificada financeiramente pelo “profissionalismo” que pode oferecer ao seu “cliente”, fazendo ele economizar vários anos de tentativas e erros, dando cabeçadas que poderiam ser evitadas. Isso é bem melhor do que uma relação onde os interesses são obscuros. Tenha em mente que o que é combinado antes, nunca saí caro.

Mentores nunca devem se envolver física ou emocionalmente com a pessoa que está recebendo Mentoring. A melhor parceria de Mentoring, para transferência de experiências, seria entre Dominante & Dominante, ou, submisso & submisso. O papel de um mentor não equivale a ser dominante ou submisso de alguém; parceiro de jogo; treinador; ou parceiro sexual. Por isso, o pupilo que leva a sério seu aprendizado de BDSM deve ser muito cauteloso ao escolher um mentor.

Comentários

Postagens mais visitadas