Nickname e Coleira Virtual

Nick BDSM
Originalmente, o nick (abr. de nickname, Apelido ou pseudônimo) é usado no meio virtual a fim de não identificar o nome verdadeiro da pessoa que está participando de um canal (fórum, chat, rede social) onde as pessoas falam sobre temas ligados a sexo, Kink, BDSM, etc. Muitas pessoas, ainda nos dias de hoje, se sentem constrangidas ao ver sua identidade ligada a um assunto considerado tabu, pelo menos na cabeça de moralistas de plantão.

Nickname e Coleira Virtual
O nick também adquire outra função dentro na comunidade Kink & BDSM, tornando-se uma espécie de identidade do seu “Alter Ego”. Aquela pessoa que só aparece nos momentos que você pode expressar seus desejos e fantasias mais íntimos, junto com outras pessoas que compartilham dos mesmos interesses.

Membros da comunidade Kink & BDSM, costumam se dirigir uns aos outros pelo nick, não pelo nome de batismo. Por isso, é importante pensar bem antes de escolher o nick – ele pode acabar se tornando sua identidade permanente. Não é raro membros da comunidade Kink & BDSM, que se conhecem há anos, não saberem qual é o verdadeiro nome uns dos outros.

Imagine-se em um shopping, ou até no meio da rua, numa quarta-feira qualquer. De repente você encontra aquele amigo(a) que você conhece da comunidade Kink & BDSM há 1 ano. Vocês sempre se encontram nas festas, ou reuniões temáticas, mas nesse dia se encontraram em um local totalmente fora de contexto. Ele não sabe, ou não lembra o seu nome verdadeiro – por falta de hábito. Como você se sentiria ao ser chamado pelo seu nick fora do contexto?

Algumas dicas para escolher o seu nick:
  • “putinha de macho”, “SENHOR PICA DAS GALÁXIAS”, são alguns exemplos de nicks constrangedores para chamar fora de contexto. Concorda? rs
  • “Barbaro666”. Evite nicks com números;
  • Não use nicks difíceis de pronunciar como nomes estrangeiros. Ex. “Herchcovitch” Senão, você terá que ficar explicando a pronúncia a todo momento. Submissos tentarão fazer um esforço, mas não conte com a mesma boa vontade por parte dos dominadores;
  • Apelidos de infância, sobrenome, nome de um ídolo, podem ser uma boa opção.
Essas são apenas algumas sugestões, mas, o que é mais importante é você estar confortável com o nick que escolheu.

Além de identificar um membro da comunidade, o nick também pode ter características que identificam o arquétipo Kink & BDSM, e a condição em que essa pessoa se encontra no momento.

Exemplo 1:
    Mestre João – “Mestre”, refere-se ao seu arquétipo Kink & BDSM; enquanto “João” é o seu nick. Convencionalmente, dominantes usam nicks com iniciais maiúsculas.

Exemplo 2:

    Escrava carol_J – “escrava” refere-se ao seu arquétipo Kink & BDSM; “carol” é o seu nick; enquanto “J” é a inicial do nick do seu Mestre. Convencionalmente, submissos usam nicks com iniciais minúsculas.

Neste exemplo, fica claro que “carol” é uma escrava sob à posse de um mestre, com inicial J. Essa forma de identificação também é chamada de “Coleira Virtual”. Pois indica aos outros membros da comunidade Kink & BDSM que a pessoa por trás daquele nick está comprometida. Uma outra forma encontrada para fazer referência a uma escrava encoleirada é uso do seu nick entre {}, ou seja, a mesma se apresentará como “{carol}_J”.

Antigamente, essa indicação era mais do que suficiente para que a escrava “encoleirada” fosse respeitada, assim como o seu mestre, e ela não seria abordada por outros pretendentes. Mas os tempos mudaram, infelizmente, esse respeito está desaparecendo na comunidade. Talvez, pela notoriedade que o Kink & BDSM ganharam em tão pouco tempo, muitas pessoas entraram para a comunidade sem adquirir conhecimentos básicos necessários, e por isso cometem várias gafes sem se darem conta disso. Essa é uma das razões que praticantes mais experientes, estão se afastando de eventos abertos ao público, praticando somente em suas próprias casas, ou em grupos mais restritos, como no caso da Masmorra Carioca.

Comentários

Postagens mais visitadas