Exibicionismo

Exibicionismo é o ato de expor, em um contexto público ou semi-público, as partes do corpo que normalmente não são expostas - por exemplo, seios, genitais ou nádegas. A prática pode surgir de um desejo ou compulsão de se expor dessa maneira a grupos de amigos ou conhecidos, ou a estranhos por diversão ou satisfação sexual ou por chocar o espectador. Expor-se apenas a um parceiro íntimo normalmente não é considerado exibicionismo.

O exibicionismo é um desvio sexual caracterizado pelo desejo incontrolável de obter satisfação sexual no fato puro e simples de exibir os órgãos genitais a outros, sem o consentimento prévio.

Um caso ficcional
Geremias, um homem de 25 anos, chega ao consultório do psicólogo. Com muita dificuldade ele relata que veio proucurar ajuda devido a um problema que lhe causa profundo desconforto. Confessa que nos últimos meses ele tem uma necessidade urgente de sair a rua para pegar um ônibus e sentar-se próximo a alguma mulher que esteja sozinha, então mostrar-lhe seus órgãos genitais. Mais tarde, depois de ver sua reação, ele foge e, quando chega em casa, se masturba pensando na surpresa da pessoa que ele mostrou a si mesmo, fato que causa grande excitação e reduz o estresse. Por isso, Geremias foi preso e condenado em uma ocasião, mas acredita que o fará novamente se não tiver ajuda e isso causa nele uma grande ansiedade, porque considera esse comportamento nojento.

Aspectos legais
Interessa ao Direito por constituir-se em importunação ofensiva ao pudor, contravenção penal.

Pseudo-exibicionismo e distinções
O exibicionismo eventual, decorrente de alteração momentânea dos freios psicológicos pela ingestão de substâncias desinibidoras (como, v.g., o álcool, certas drogas como o LSD, e outras), não pode se caracterizar como a típica parafilia do exibicionismo.

Também a agorafilia não se constitui exibicionismo, pois esta consiste na prática sexual em local aberto, independente da existência de pessoas observando.

Outras acepções

Vulgarmente, julga-se como exibicionismo toda conduta persistente em indivíduos que buscam se fazer notar pelos demais. Neste sentido a palavra ganha diversos sinônimos e muitas vezes confunde-se com práticas comuns, muitas vezes alimentadas por regras de grupo (como ocorreria, por exemplo, em "bailes funks", concurso de camiseta molhada, etc.) onde a conduta exibicionista e despudorada, além de permitida é incentivada e valorizada.

Na gíria (Brasil), existem diversas expressões que definem pessoas de conduta exibicionista, como "perua" para mulheres que gostam de aparecer no vestuário, ou o jogador "mascarado", no esporte.


Referências:
Associação Americana de Psiquiatria. Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais, DSM-5. Tradução: Maria Inês Corrêa Nascimento, et al. EUA: Artmed, 2014.

Comentários

Postagens mais visitadas